"Ando no rastro dos poetas, porém descalça... Quero sentir as sensações que eles deixam por ai"



quinta-feira, 28 de junho de 2012

O realejo diz que eu serei feliz...


(…) encontrarás-teu-amor-numa-tarde-de-domingo-do-signo-de-Libra.
                                                     noite            5ª feira                            Câncer

Nunca te arrependas de um dia de tua vida.
Os bons dias te dão felicidade.
Os maus te dão experiência.
Ambos são essenciais para a vida.
A felicidade te faz doce.
Os problemas te mantêm forte.
As penas te mantêm humano.
As quedas te mantêm humilde.
O bom êxito te mantem brilhante.
Mas, só Deus te mantem caminhando…

“Alegria espalhada vira inveja.”

Este é o Deus cujo caminho é perfeito; a palavra do Senhor é comprovadamente genuína.
Ele é um escudo para todos os que nele se refugiam.

Salmos 18:30

quarta-feira, 27 de junho de 2012

a você!


Eu te desejo... Saúde.
Não aquela perfeita, atlética
que corre distâncias, vence obstáculos.
Te desejo a saúde que te leve em frente
por cada dia da sua vida,
com o sorriso no rosto e o coração em paz.

Eu te desejo... Amor.
Não aquele amor infinito, de fábula.
Que de tão perfeito, pareça um sonho.
Eu te desejo um amor real, com defeitos.
Mas daqueles que quando não se tem, se sente falta
e quando está ao lado, simplesmente ame.

Eu te desejo... Paz.
Não aquela paz que todos querem,
olhando o noticiário e se entristecendo com o mundo.
Eu te desejo paz de espírito,
que te permita viver bem consigo, e com os outros.
Sem remorsos, sem tormentos.

Eu te desejo... Tempo.
Não tempo para somente viver muito, ou quem sabe, pra sempre,
insistindo nos erros e fechando os olhos pra vida.
Eu te desejo tempo
para que a cada minuto reconheça a importância do agora.
Perceber a cada minuto
a saúde que vem em cada respiração,
o amor que se encontra em um abraço sincero,
a paz de saber que apesar de tudo seguimos em frente.
E tempo, que para quem sabe usá-lo,
é eterno.

Eu te desejo isso por todos os dias.

(desconheço autoria, mas poderia ter sido minha.
É tudo que desejo a você, meu bem... por todos os dias.
Parabéns!

PS: 'Entregue-se àquilo que te faz sentir.')

Hoje, um cara muito especial pra mim completa 62 anos.
Também pela sua história, pela rara inocência que prevalece no seu coração bonito, pelas dificuldades superadas, pela leveza reinventada, pelo brilho bom que os seus olhos dizem, eu o admiro muito.

Ainda aprendo com ele que amor, antes de qualquer outra coisa, é gesto.
Que perdão é bálsamo pra dois.
Que não existe meia confiança.
Que um dos lugares mais felizes do mundo é toda vez que podemos descansar a cabeça no travesseiro, à noite, com a consciência em paz pelas nossas ações, mesmo quando a colheita do dia não tenha sido lá tão generosa como gostaríamos.

Eu adoro quando ele diz “minha flor” porque é uma alegria que ele, exatamente ele num planeta de bilhões, seja o “meu jardineiro”.
(adaptado)

Ele...


Só tem um coração.
Mas é enorme.

Da música que se encaixa na pessoa


Vai como um vento solto numa campina
desliza na relva verde
e vai subindo pela colina
Todas as folhas secas
viram tapete aqui neste chão
nos pés desse homem bom
que só tem amor no seu coração

Vê outra madrugada que vem chegando
Fala com os passarinhos
Brinca com as flores vai meditando
Ele é um mensageiro
da alegria e jamais da dor
Quer a felicidade da humanidade
seja onde for

Ele é uma pessoa
que ama e perdoa e não vê a quem
Anda pelos caminhos
levando a paz ajudando alguém
Por todos os lugares
cruzando os mares fazendo o bem
Ele é um homem bom
distribui amor e tudo o que tem

Cheio de amor e fé ele é o nosso irmão
Aquele grande amigo
que no perigo estende a mão
Tem no olhar a calma
Tem luz na alma e na sua voz
Tem sempre uma palavra
de amor e paz prá dizer prá nós

(O homem bom – Roberto Carlos)

Acho que todos nós já nos identificamos com alguma música,
ou achamos que ela tem tudo a ver com alguém conhecido!
Pois é... tempos atrás, ouvi essa música tocando no rádio e ela despertou minha atenção.
Depois, lendo a letra, “vi” o Neckyr nas palavras (d)escritas.
Essa música simplesmente o descreveu.
O Neckyr é um homem bom...
É bom no seu olhar, nas suas atitudes, nas suas palavras,
no carinho que dispensa aos amigos, no seu trabalho,
no convívio com sua família.
É autêntico, forte, sensível, de boas maneiras, "fino, elegante, sincero, com habilidade pra dizer mais sim do que não"* 
íntegro, batalhador, que respeita e se faz ser respeitado.
Tem defeitos, claro!
Afinal, antes de um “ser” especial, é um ser humano.
Mas, é só ele se distrair e os defeitos somem... eles são encobertos pelas qualidades que ele aprendeu a adquirir com o passar dos anos, e com isso, a gente nem os percebe.
O Neckyr é um homem bom...
E ele se “esforça para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende!”**

* Lulu Santos
**Cora Coralina

Que o Senhor te responda no tempo da angústia;
Conceda-te o desejo do teu coração e leve a efeito todos os teus planos.
Que o Senhor atenda todos os teus pedidos!

(Salmos 20:1,4-5)

terça-feira, 26 de junho de 2012


"Eu acredito em Deus.
Mas não sei se o Deus em que eu acredito é o mesmo Deus em que acredita o balconista, a professora, o porteiro.
O Deus em que acredito não foi globalizado.
O Deus com quem converso não é uma pessoa, não é pai de ninguém.
É uma idéia, uma energia, uma eminência.
Não tem rosto, portanto não tem barba.
Não caminha, portanto não carrega um cajado.
Não está cansado, portanto não tem trono.
O Deus que me acompanha não é bíblico.
Jamais se deixaria resumir por dez mandamentos, algumas parábolas e um pensamento que não se renova.
O meu Deus é tão superior quanto o Deus dos outros, mas sua superioridade está na compreensão das diferenças, na aceitação das fraquezas e no estímulo à felicidade.
O Deus em que acredito me ensina a guerrear conforme as armas que tenho e detecta em mim a honestidade dos atos.
Não distribui culpas a granel: as minhas são umas, as do vizinho são outras, e nossa penitência é a reflexão.
Ave Maria, Pai Nosso, isso qualquer um decora sem saber o que está dizendo.
Para o Deus em que acredito só vale o que se está sentindo.
O Deus em que acredito não condena o prazer. Se ele não tem controle sobre enchentes e violência, se não tem controle sobre traficantes, corruptos e vigaristas, se não tem controle sobre a miséria, o câncer e as mágoas, então que Deus seria ele se ainda por cima condenasse o que nos resta: o lúdico, o sensorial, a libido que nasce com toda criança e se desenvolve livre, se assim o permitirem?
O Deus em que acredito não me abandona, mas me exige mais do que uma visita à igreja, uma flexão de joelhos e uma doação aos pobres: cobra caro pelos meus erros e não aceita promessas performáticas, como carregar uma cruz gigante nos ombros.
A cruz pesa onde tem que pesar: dentro. É onde tudo acontece e tudo se resolve.
Este é o Deus que me acompanha.
Um Deus simples.
Deus que é Deus não precisa ser difícil e distante, sabe-tudo e vê-tudo.
Meu Deus é discreto e otimista. Não se esconde, ao contrário, aparece principalmente nas horas boas para incentivar, para me fazer sentir o quanto vale um pequeno momento grandioso: um abraço numa amiga, uma música na hora certa, um silêncio.
É onipresente, mas não onipotente.
Meu Deus é humilde.
Não posso imaginar um Deus repressor e um Deus que não sorri.
Quem não te sorri não é cúmplice."

'Sei lá.
O que sei mesmo é que continuo não gostando de barulho.

Naquelas horas em que preciso de paz e amor; concentração, corro a colocar João Gilberto na vitrola.
Meu preferido é aquele gravado com o sax do Stan Getz.

Agora, para chafurdar numa boa dor-de-cotovelo,
com se dizia antigamente, você pode experimentar Billie Holiday,
Angela Ro Ro (onde andará?),
Maria Bethânia - mas só quando chegar na velha e boa Maysa
terá certeza absoluta que seu mundo caiu.

E todas essas coisas me fazem pensar em Gal
cantando um velho Caetano, aquele assim:
Eu, você, João, já temos um passado, meu amor,
a bossa, a fossa, a nossa grande dor,
como dois quadradões...'

Dirige os meus passos nos teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem.

Salmos 17:5

segunda-feira, 25 de junho de 2012


É deslumbrante você acordar no inverno e ter alguém ao lado.
Não tem como um casal se separar no inverno, vão ficar com muito frio.
Não há lençol térmico que dê o calor do corpo.

Isso é quase bíblico.

"O mundo me prefere com dois braços e duas pernas, mas não sei mais ser humana.
Sorrir cansa.
Chorar cansa.
Mas o que mais cansa é procurar desesperadamente um intermediário e esquecer que o mundo é mais que aparências.

Eu sou volúvel. Grande surpresa.
Mas ser volúvel também cansa.
Porque ninguém leva a sério alguém que passa a semana chorando pra ficar bem na semana seguinte.
Como se fosse preciso ser feliz pra sempre ou triste pra sempre pra ser alguma coisa de verdade.

Não quero mais a realidade comum.
Isso é o que mais cansa, pra ser bem sincera.
Tenho até arrepios de pensar num futuro escrito e óbvio nas prateleiras de gente sem sal.
Só de saber o que vai ser de mim, já quero ser outra coisa.
Uma coisa nova e diferente, pra quebrar o que é certo.

Eu ando tão cansada de seguir as regras.
Ando tentando mudar as regras.
Eu sei que o que acomoda não é fácil de mudar, mas alguém um dia tem que dizer chega, né?
Pras coisas mudarem, o mundo girar.
Tanta engrenagem e tão pouco suor.

Só sei que ando dedicando meus dias pra gente que nem sabe que eu existo.
Vou fazer o que for preciso pra nunca mais precisar fazer nada.
E passar o resto da minha vida fingindo que acredito na minha liberdade."

Senhor, tu és a minha porção e o meu cálice;
és tu que garantes o meu futuro.

Salmos 16:5

sexta-feira, 22 de junho de 2012


Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender.
Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras.
Sinto que sou muito mais completa quando não entendo.
Não entender, do modo como falo, é um dom.
Não entender, mas não como um simples de espírito.
O bom é ser inteligente e não entender.
É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida.
É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco.
Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.
"Eu sempre acho que amanhã será o dia de mudar de vez,
de me assumir por completo.
Mas daí o amanhã chega e tenho uma imensa preguiça de sair da minha área de conforto, porque é bem provável que ninguém entenda.
E dá medo encarar o que é definitivo.
E porque é mais fácil reclamar da vida do que torná-la leve de sobreviver.

Hoje eu sinto saudade e nem sei do quê.
É uma angústia louca, um misto de vontade de chorar e sorriso leve.
Eu não sei citar motivos, mas alguma coisa me falta.
Estou ao mesmo tempo feliz e deprimida, tenho companhia e nunca fui tão sozinha, tenho sucesso e nunca me senti tão fracassada.

Eu crio mil planos pra mim e boicoto todos eles.
A vida é tão cheia de ciclos e fases
e eu me agarro doentiamente ao conhecido.
Eu evito mudanças drásticas, sabendo que são meus impulsos mais interessantes e busco o conforto da mesmisse.
É ridículo, não há surpresas.

Ninguém nunca espera que eu saia dos meus limites.
Quem me conhece de verdade?
E quem sabe dos momentos que eu estou a ponto de explodir?
As saudades são grandes, o telefone mudo.
Me identifico com livros e personagens e nem tenho uma história pra contar.
E se eu contar, quem vai se importar?

Eu me importo, e muito.
Quero marcar mais quem passa por mim, quero perder esse medo de não agradar, essa preocupação em ser o que todos esperam.
Tentando não incomodar ninguém eu fico neutra.
Invisível.
E todas as minhas experiências de falta de preocupação já me indicaram que seria bem melhor me assumir.
Eu não sou tímida.
Sou calculista.
E essa falta...
Na verdade eu sei, mas não queria saber...
É falta de mim."

Ao Senhor declaro: "Tu és o meu Senhor; não tenho bem nenhum além de ti".

Salmos 16:2

quinta-feira, 21 de junho de 2012

"Se eu não me amar, estarei perdida
- porque ninguém me ama a ponto de ser eu,
de me ser."

“Se sua partida é mesmo inevitável, se seu sonho é mesmo indispensável, se sua vida é mesmo impenetrável, vá logo de uma vez.
Não permita que eu me apegue e faça planos, não me deixe crer no que não há verdade.
Vá antes de borrar minha maquiagem, ferir minha coragem, antes que eu jogue meus instintos de sobrevivência definitivamente pela janela do prédio como se não me importassem mais sentimentos próprios.
Não provoque meus medos, não confunda meu discernimento e não destrua meu equilíbrio.
Apenas vá.
Leve tudo o que é seu para que a lembrança não perfure meu sorriso cheio de lágrimas.
Não me deixe criar um relacionamento individual onde eu sou todos os personagens e nenhum enquanto você é a platéia, única, que faz questão de não aplaudir minhas fragilidades teatrais.
Você que preenche minhas lacunas de medo e cinco minutos de vida, deve ter um longo caminho de volta pro seu ser, enquanto eu sobrevivo de te esquecer daqui a pouco.
Se minhas palavras embaralhadas confundem sua mente, nem peço lucidez.
Já sei o quanto você gosta de estar entorpecido pra esquecer seus problemas ao invés de resolvê-los.
Mas não ignore o que eu sou por não ter forças em me decifrar, não fuja antes de saber o que eu posso fazer pra te dar uma vida.
Seu medo é de ser feliz?
Então dividimos esse pavor doentio da alegria, podemos partilhar o pânico de sorrir até que a tristeza não faça mais sentido a dois.

Se sua partida é mesmo inevitável, se seu sonho é mesmo indispensável, se sua vida é mesmo impenetrável, ao menos arrisque me carregar junto de você.”

Senhor, quem habitará no teu santuário?
Quem poderá morar no teu santo monte?

Aquele que é íntegro em sua conduta e pratica o que é justo, que de coração fala a verdade e não usa a língua para difamar, que nenhum mal faz ao seu semelhante e não lança calúnia contra o seu próximo, que rejeita quem merece desprezo, mas honra os que temem ao Senhor, que mantém a sua palavra, mesmo quando sai prejudicado, que não empresta o seu dinheiro visando lucro nem aceita suborno contra o inocente.

Quem assim procede nunca será abalado!

Salmos 15

quarta-feira, 20 de junho de 2012

E começou o inverno...

O problema do inverno não é o frio.
É a falta de assunto: todo mundo comentando sobre o frio.

Dos apesares...


''Não lembro quem disse que a gente gosta de uma pessoa não por causa de, mas apesar de.
Gostar do que é gostável é fácil: gentileza, bom humor, inteligência, simpatia, tudo isso a gente tem em estoque na hora em que conhece uma pessoa e resolve conquistá-la.
Os defeitos ficam guardadinhos nos primeiros dias e só então, com a convivência, vão saindo do esconderijo e revelando-se no dia a dia.
Você então descobre que ele não é apenas gentil e doce, mas também um tremendo casca-grossa quando trata os próprios funcionários.
E ela não é apenas segura e determinada, mas uma chorona que passa 20 dias por mês com TPM.
E que ele ronca, e que ela diz palavrão demais, e que ele é supersticioso por bobagens, e que ela enjoa na estrada, e que ele não gosta de criança, e que ela não gosta de cachorro, e agora?

Agora convoquem o amor pra resolver esta encrenca.

O par ideal não existe.

Esta tal de alma gêmea é uma invenção que colou não sei como, porque é só pensar um pouco pra ver que não faz sentido:
Seria uma sorte excepcional sua alma gêmea morar na mesma cidade, frequentar o mesmo clube e o mesmo bairro que você.

Sua alma gêmea pode muito bem viver em Kuala Lampur ou em Helsinque, como é que você foi cair nos braços do primeiro candidato ao posto sem dar um giro pelo mundo antes?

O que existe é uma necessidade de extravasar nossos sentimentos mais nobres, uma vontade maluca de pertencer emocionalmente a alguém.
Existe um sexto sentido que nos conduz em direção a uma determinada pessoa, existe uma vontade de estar junto, de trazê-la para o nosso mundo e também de entrar no mundo dela, existe uma aversão à solidão que nos impulsiona para o desconhecido – ou para a desconhecida.
E estes seres estranhos são gentis, bem-humorados, inteligentes, simpáticos, e o que mais? Ele deixa a casa esculhambada, ela é péssima cozinheira.
Ele é pão-duro, ela gasta insanamente.
Ele se irrita quando seu time perde, ela desmorona quando é criticada.
Ele tem medo de altura, ela tem medo de tempestade.
Ele chega atrasado, ela nunca está pronta.
Ele é muito distraído, ela é muito ciumenta.
Ele não gosta de sair, ela não gosta de ler.
Ele dorme tarde, ela tem insônia.
Ele é gremista doente, ela nem sabe o que é um escanteio.

Mas se adoram, apesar de.''

"Eu vou ligar.
Juro sem cruzar os dedos,
porque eu quero mesmo
é cruzar meu olho no teu,
meu abraço no teu,
meu sorriso no teu."

As palavras do SENHOR são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes.

(Salmos 12:6)

terça-feira, 19 de junho de 2012


“Se o homem realmente gosta, ele vai até o inferno por você.
Ele vai sim, e ainda abraça o capeta se for preciso.
Sabe por quê? Porque homens são previsíveis, se eles querem eles querem, se não querem, não querem.
Homem é tudo igual.
Eu sei é clichê, mas é a mais pura verdade.
Quando o cara quer, não tem distância, problemas, família, trabalho, tempo, futebol, estudo, mãe, unha encravada, barba por fazer, celular sem bateria, chuva, temporal, falta de dinheiro que o impeça de estar com você.
É simples. É a realidade.”


Emoção, que traidora você me saiu
me desmente assim na frente de todos
me faz tomar atitudes ridículas
que eu sempre detestei e neguei e nem sei
Emoção, que maneira de me deixar só
agora estou sem caminho e sem solução
que jeito brusco de expulsar a razão
que sempre me fala, me guia, sei lá
Emoção, que bela fera você se mostrou
invade assim sem saber, se atravessa, domina
me agarra e sacode e balança e me enlaça
e eu já nem sei, sei lá, sou eu
Eu queria poder ter um par de asas.
Quem sabe lá de cima eu me ache…

[ Marta Felipe ]

“Quero ficar só.
Gosto muito das pessoas,
mas às vezes tenho essa necessidade voraz de me libertar de todos.”

O SENHOR será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia.
Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, SENHOR, nunca desamparaste os que te buscam.

Salmos 9:9-10

segunda-feira, 18 de junho de 2012


Se amo, porque me amam, tem o amor causa;
se amo, para que me amem, tem fruto:
e amor fino não há de ter porquê, nem para quê.

Se amo, porque me amam, é obrigação, faço o que devo;
se amo, para que me amem, é negociação, busco o que desejo.
Pois como há de amar o amor para ser fino?

Amo, quia amo, amo, ut amem: amo, porque amo, e amo para amar.

Quem ama porque o amam, é agradecido;
quem ama, para que o amem, é interesseiro;
quem ama, não porque o amam, nem para que o amem,
esse só é fino.

Eu pequenininha, grão...
Dia desses fui carregada por um vento forte e caí num buraco qualquer.
Quando achei que não poderia piorar, alguém passou correndo e deixou cair uma porção de terra sobre mim.
Enterrada... Sofri, chorei, tomei sol e chuva, tive medo da escuridão.
Os dias foram passando e assustada fui crescendo, modificando, logo me vi planta, pequeno broto e desabrochei em bela flor.

PS. Se todos entendêssemos que na vida as dificuldades são apenas etapas para o que se sonha ser, seria menos doloroso o caminho que percorremos desde semente até flor.

“É fácil morrer.
A toda hora, em todos os lugares, a morte está se oferecendo.
Mas difícil é continuar vivendo.
Eu continuo.
Não sei se gosto, mas tenho uma curiosidade imensa pelo que vai me acontecer,
pelas pessoas que vou conhecer,
por tudo que vou dizer e fazer e ainda não sei o que será.”

SENHOR, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos;
endireita diante de mim o teu caminho.
-Salmos 5:8-

sexta-feira, 15 de junho de 2012


Estenda no varal a tristeza, a mágoa, as incertezas, as lágrimas...
E deixe secar.

Sol, s.m.: Quem tira a roupa da manhã e acende o mar
Quem assanha as formigas e os touros...”


Entusiasmo é quando o coração da gente fica todo florido de Deus.

Estou na caridade da evolução do meu ser...
Quero ser menina, encontro-me mulher.
Quero ser mulher, vejo-me menina.

(Ferreira Gullar)

Em paz me deito e logo adormeço, pois só tu, Senhor, me fazes viver em segurança.

(Salmos 4:8)

quinta-feira, 14 de junho de 2012


“Devido à exposição abusiva à televisão e ao cinema,
nos tornamos excessivamente exigentes com relação aos requisitos necessários para encontrarmos a felicidade”.

"Meu silêncio é o grito mais alto
que alguém já deu"


Aquele que não foi amado é o que mais ama.

É o menino que nunca beijou, distraído na sala de aula, capaz de descobrir a direção do vento observando os pelos loiros do pescoço da colega.
É a menina que tem uma única dúvida: até quando devo estender a língua em outra boca?
Sem pais, sem professores, sem amigos para perguntar uma coisa dessas.
É o jovem de topete, fingindo que não é virgem no recreio, mas que ainda dorme com o travesseiro entre as pernas.
É a jovem ruiva que se excita andando de bicicleta e engolindo vento.
É o velho na janela que somente conheceu putas.
É a velha vizinha dele que gostaria de ter sido puta.
Os tímidos, os feios, os recalcados, os lindos, os arredios, os brabos; fico pensando em quem silencia suas vontades para não incomodar e têm o silêncio cheio de tremores.

Aquele que ama sem ser amado é o que mais ama.

É a secretária louca pelo seu chefe e que passará a vida anotando recados da esposa dele (há o que confessa a verdade pelo ciúme, e o que guarda toda a verdade na inveja).
É o adolescente que pede para o ônibus encher e assim esbarrar na moça de colar de pérola (há o que consegue puxar conversa, há o que espera ser empurrado).
É o professor que teve uma única namorada e desvia o olhar dos casais se abraçando nas praças (há o que levanta a cabeça com orgulho, há o que baixa de tanto que deseja).
É a faxineira que cuida do vestido da patroa, prende no cabide e não se aguenta: coloca a peça sobre os seios rapidamente temendo que alguém entre (há o que exibe seu corpo, há o que se encolhe para receber outro corpo).
É a casada que anseia jantar uma noite fora para usar de novo o par de brincos do casamento.
É o homem que não faz barba para esconder as acnes e as marcas da adolescência.

Ai, como dói quem espera amar.
Quem dedica uma vida à disciplina da paciência, torcendo para o sexo melhorar o casamento, torcendo para o casamento melhorar o sexo, torcendo para que o marido não fique bêbado ao menos uma vez, torcendo para que a esposa não reclame ao menos uma vez, dormindo e esquecendo a tristeza, acordando e repondo a esperança, aqueles que resistem e talvez envelheçam sem completar seus sonhos, que respeitam as pequenas alegrias porque podem ser as únicas, que não decidiram se diminuem a expectativa para sair da solidão ou aumentam as exigências para justificá-la.

Como eu amo quem se importa em amar, apesar de tudo.
Apesar de tudo.


(O quase é tão cheio de tudo)

Das colchas de retalhos


Material necessário:
- Alguns pedaços da história de um encontro
- Fragmentos de cores
- Cenas diversas (dê preferência àquelas mais suaves, cheias de sorrisos...)
- Humor
- Grandes fatias do desejo nascido junto com a lua
- Lembranças cortadas em pedaços
- Um bom olhar
- Muito carinho
- Amor a vontade para arrematar

Modo de fazer:
Separe o material na memória
Selecione cada pedaço da história e vá juntando
Se não houver formato coerente, seja paciente
Entremeie com cenas diversas cheias de sorrisos
E alinhave com humor
Costure bem as fatias do desejo
E não tente cortá-las
Elas darão um formato especial
A lua garante o brilho
Costure os pedacinhos de lembranças com a suave linha do olhar
Preencha os espaços vazios com muito carinho e,
ao fim,
arremate com todo amor que puder para reforçar.

(por Maine Virgínia Carvalho)

Quando vocês ficarem irados, não pequem;
ao deitar-se reflitam nisso, e aquietem-se.

- Salmos 4:4 -

quarta-feira, 13 de junho de 2012

um elefante incomoda muita gente...

                                                                          (zoo de BH)

Certo dia, um príncipe indiano mandou chamar um grupo de cegos de nascença e os reuniu no pátio do palácio. Ao mesmo tempo, mandou trazer um elefante e o colocou diante do grupo. Em seguida, conduzindo-os pela mão, foi levando os cegos até o elefante para que o apalpassem.
Um apalpava a barriga, outro a cauda, outro a orelha, outro a tromba, outro uma das pernas. Quando todos os cegos tinham apalpado o animal, o príncipe ordenou que cada um explicasse aos outros como era o elefante.

O que tinha apalpado a barriga, disse que o elefante era como uma enorme panela.
O que tinha apalpado a cauda até os pelos da extremidade discordou e disse que o elefante se parecia mais com uma vassoura.
“Nada disso”, interrompeu o que tinha apalpado a orelha. “Se alguma coisa se parece é com um grande leque aberto”.
O que apalpara a tromba deu uma risada e interferiu: “Vocês estão por fora. O elefante tem a forma, as ondulações e a flexibilidade de uma mangueira de água…”.
“Essa não”, replicou o que apalpara a perna, “ele é redondo como uma grande mangueira, mas não tem nada de ondulações nem de flexibilidade, é rígido como um poste…”.

Os cegos se envolveram numa discussão sem fim, cada um querendo provar que os outros estavam errados, e que o certo era o que ele dizia.
Evidentemente cada um se apoiava na sua própria experiência e não conseguia entender como os demais podiam afirmar o que afirmavam.

O príncipe deixou-os falar para ver se chegavam a um acordo, mas quando percebeu que eram incapazes de aceitar que os outros podiam ter tido outras experiências, ordenou que se calassem.
“O elefante é tudo isso que vocês falaram. Tudo isso que cada um de vocês percebeu é só uma parte do elefante. Não devem negar o que os outros perceberam. Deveriam juntar as experiências de todos e tentar imaginar como a parte que cada um apalpou se une com as outras para formar esse todo que é o elefante.”

Esta fábula do folclore Indu mostra como cada indivíduo que vê as coisas somente do seu ponto de vista, pensa estar certo, no entanto pode concluir estar errado quando se permite ver as coisas por outro lado, de outro ponto de vista. Quando ouvimos todos os lados envolvidos em uma situação e outros pontos de vista, podemos tirar uma conclusão mais eficaz e completa de uma situação. A empatia é fator preponderante.

#ficaadica: muito cuidado quando você ouvir alguém te contar uma historinha, ela pode estar totalmente equivocada. Se você quer saber mesmo da verdade e sem pré-conceitos e parcialidade então ouça todos os lados possíveis, quanto mais “cegos” você ouvir melhor será a tua conclusão de como é um “elefante”. No final junte todas as partes.

(encontrado na net)