"Ando no rastro dos poetas, porém descalça... Quero sentir as sensações que eles deixam por ai"



sábado, 31 de julho de 2010


"Dizem que a gente tem o que precisa.
Não o que a gente quer.
Tudo bem. Eu não preciso de muito.
Eu não quero muito.

Eu quero mais.

Mais paz. Mais saúde. Mais dinheiro. Mais poesia. Mais verdade.
Mais harmonia. Mais noites bem dormidas. Mais noites em claro.
Mais eu. Mais você.
Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca.
Eu quero nós.
Mais nós.
Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala.
Nós que não atam nem desatam.
Eu quero pouco e quero mais.
Quero você. Quero eu.
Quero domingos de manhã.
Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro.
Quero seu beijo.
Quero seu cheiro.
Quero aquele olhar que não cansa,
o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte:
nada é muito quando é demais."


"Se o outro for bom para você.
Se te der vontade de viver.
Se o cheiro do suor do outro também for bom.
Se todos os cheiros do corpo do outro forem bons.
O pé, no fim do dia. A boca, de manhã cedo.
Bons, normais, comuns. Coisa de gente. Cheiros íntimos, secretos.
Ninguém mais saberia deles se não enfiasse o nariz lá dentro,
a língua lá dentro,
bem dentro, no fundo das carnes, no meio dos cheiros.
E se tudo isso que você acha nojento
for exatamente o que chamam de amor?"







"A lei da gravidade não pode ser responsabilizada
pelo fato de uma pessoa cair de amores por outra."


sexta-feira, 30 de julho de 2010


"Meu Deus, não sou muito forte,
não tenho muito além de uma certa fé 
(não sei se em mim,
se numa coisa que chamaria de justiça-cósmica
ou a coerência-final-de-todas-as-coisas).
Preciso agora da tua mão sobre a minha cabeça.
Que eu não perca a capacidade de amar,
de ver, de sentir.
Que eu continue alerta.
Que, se necessário, eu possa ter novamente
o impulso do vôo no momento exato.
Que eu não me perca,
que eu não me fira,
que não me firam,
que eu não fira ninguém..."



"Não sei se sou o que você queria...
Não sei se sou o que você procurava...
Não sei se sou o que você merece...
Não sei se sou o que você carece...
Não sei se sou o que você diz que sou...
Não sei...
Sei que, o que sou te ofereço!!!"

                                                   (Nicky)rido

"E quando ele riu, eu percebi.
Eu percebi que eu estava na merda.
Porque adoro esses caras que dão risada com a cara inteira
mas continuam com os olhos um pouco tristes e parados.
E adoro que a ressaca dele não permitia muita emoção
e por isso ele fechava um pouco os olhos e ficava quietinho.
É impressionante como eu não gosto de ninguém mas,
de vez em quando, escapa um momento,
um gesto, uma pessoa perdida e linda e única.
E eu fico nessa felicidade de ser uma pessoa boa
e capaz dessas coisas boas."


"(...) dessa vez era um amor mais realista
e não romântico:
era um amor de quem já sofreu por amor."




"O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos
Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"
Enquanto houver você do outro lado
Aqui do outro eu consigo me orientar

A cena repete a cena se inverte
Enchendo a minh'alma d'aquilo que outrora eu deixei de acreditar
Tua palavra, tua história
Tua verdade fazendo escola
E tua ausência fazendo silêncio em todo lugar

Metade de mim
Agora é assim
De um lado a poesia, o verbo, a saudade
Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim
E o fim é belo incerto... depende de como você vê
O novo, o credo, a fé que você deposita em você e só

Só enquanto eu respirar
Vou me lembrar de você
Só enquanto eu respirar

(O anjo mais velho – O Teatro Mágico)






Sinceramente ainda acredito

Em um destino forte e implacável

Em tudo que nós temos pra viver

É muito mais do que sonhamos

...

Vem meu amor

Vem andar comigo


(Vem andar comigo – Rogério Flausino)


quinta-feira, 29 de julho de 2010


Te dou o meu coração



Queria dar o mundo...

(Seguindo no trem azul - Cleberson Horsth - Ronaldo Bastos)

Tu te esfumarás...
Me neblinarei sobre os telhados,
Galáxia azuis.
Sonambularás, te voltearei
Gatos lambendo as estrelas...
Wendy e Peter Pan
Sem o amanhã
Nunca, para nós dois,
É sempre cedo.
Marietarás e eu Buarquirei
Em dois cavalos com asas de luz.
Tu te nublarás, me eclipsarei...
Nuvens em nossa cabeça.
Toma, Peter Pan, só um Lexotan
Pra que tanto amor não te enlouqueça.
Vagalumarás por sobre o campo
Eu virei do mar, teu pirilampo...
Como um circo aceso
O céu da manhã
Saudará o amor que não dormir.
Tu desabarás... eu despencarei...
E o amor azul vai nos cobrir...


(Valsa para Leila - Guinga e Aldir Blanc)

"Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso.
Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever.
Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa.
Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas.
De se apaixonar, de se jogar num rio
onde ela não sabe se consegue nadar.
Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera.
Estranho é que ela já apanhou demais da vida.

Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta.
E quem não é?
A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?

A moça... ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também.
Porque amar também é isso, não?
Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando.
Daí você espera por alguém que venha te curar.
Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não.
E pra ela? Por quem ela espera?

E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.
A moça - que não era Capitu, mas também tem olhos de ressaca - levanta e segue em frente.
Não por ser forte, e sim pelo contrário... por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência.
E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda.
Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros,
vieram ao mundo."



“Eu tenho problema de pânico.
Por pânico entendo momentos em que tive a plena certeza de que iria desintegrar em praça pública, nua, e pessoas enviadas do inferno tirariam a minha pele com giletes podres para vender numa feira macabra.
E eu estava apenas comprando pão na padaria ao lado
de duas senhorinhas e uma criança.

Sim, eu tenho esse problema.
Não tenho orgulho, mas também não tenho vergonha.
Só acho, confesso, que susto pela vida não dá em gente besta.
E eu sou bem esquisita, mas definitivamente não sou besta.
E apesar de viver dizendo que não, gosto pacas de mim quando consigo.

Não é sempre que a coisa dá, mas é como se fosse:
o pânico é um eterno medo do primeiro pânico.
Você passa inexplicavelmente mal
(ou muito explicavelmente se quiser entender)
uma vez e depois apenas convive com a certeza de que pode,
uma vez que já pode, quase não morrer novamente.
E de fato a coisa volta. E volta. E volta.
E quando não volta, simplesmente está.
Quem tem a coisa estranha, tem a coisa estranha sempre,
a diferença é que quando estamos ou queremos estar bem, viver distrai.
E pra mim, aprendi recentemente, viver é exatamente isso:
se distrair do medo que dá pensar em viver.”


O texto original é enorme, achei desnecessário postá-lo inteiro.
O motivo dele estar aqui é que sou uma “ex-paniquete”.
Ex, com algumas sequelas... algumas limitações que não me impedem em nada de (sobre)viver normalmente.
Se é que posso achar normal ter medo de voltar a ter medo. (???)

Comumente, as pessoas têm medo de voar de asa delta... saltar de para-quedas, pular de bungee jumping e outros (tantos) esportes radicais.

Eu não...
Gosto de correr riscos!
Quer coisa mais arriscada do que amar?

Amar é como saltar numa queda livre sem rede de proteção.

E isso é o que faço de melhor
... mesmo tendo consciência do que pode acontecer.

Nada tão bom quanto esse frio na barriga!!!



quarta-feira, 28 de julho de 2010


“Não havíamos marcado hora,
não havíamos marcado lugar.
E, na infinita possibilidade de lugares,
na infinita possibilidade de tempos,
nossos tempos e nossos lugares coincidiram.
E deu-se o encontro”



"Se é só isso que podemos ter, que seja forte.
Que seja único.
Tão íntimo quanto ouvirmos a mesma melodia,
tendo o mesmo - esplêndido - pensamento."



"E a gente vai por aí,
se completando assim meio torto mesmo.
E Deus escrevendo certo pelas nossas linhas
que se não fossem tão tortas,
não teriam se cruzado."


"Pode parecer maluco,
mas todas as minhas súplicas para que você desista de mim,
é um jeito maluco de pedir
que você não desista nunca, pelo amor de Deus."


"(...) Só ele conheceu uma mulher corajosa que admitiu todos os medos, todas as neuroses, todas as inseguranças, toda a parte feia e real que todo mundo quer esconder com chapinhas, peitos falsos, bundas falsas, bebidas, poses, frases de efeito, saltos altos, maquiagem e risadas altas.

Ninguém nunca me viu tão nua e transparente como ele, ninguém nunca soube do meu medo de nadar em lugares muito profundos, de amar demais, de se perder um pouco de tanto amar, de não ser boa o suficiente.

Só ele viu meu corpo de verdade, minha alma de verdade, meu prazer de verdade, meu choro baixinho embaixo da coberta com medo de não ser bonita e inteligente.

Só para ele eu me desmontei inteira porque confiei que ele me amaria mesmo eu sendo desfigurada, intensa e verdadeira, como um quadro do Picasso.(...)"

terça-feira, 27 de julho de 2010


"Eu sou tão sua,
que merda,
eu sou tão sua!"


'Então eu virei pra ela e falei assim:
ah, nada, boba,
também é assim, se der, bem,
se não der, amém,
toca pra frente.'


"E eu tenho vontade se segurar seu rosto
e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz.
E que entenda que temos tudo
o que duas pessoas precisam para ser feliz:

A gente dá muitas risadas juntos.
A gente admira o outro
desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho.
A gente acha que o mundo está maluco
e sonha com sonos jamais despertados antes do meio-dia.
A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo
é melhor do que a nuca do outro no final do dia.
A gente se reconheceu de longa data
quando se viu pela primeira vez na vida."



"Tô pagando pra ver sim,
tô com a cara exposta sim,
e pode doer o quanto for,
podem maldizer o quanto for,
o sorriso que eu levo hoje apaga todos os outros rastros.
Eu aprendi, aos trancos, que ser feliz não dói.
Ser feliz não dói!"


“(...) Com tanto potencial pra acabar com a minha vida,
sabe o que ele quer?
Me fazer feliz.
Olha que desgraça. O moço quer me fazer feliz.
E acabar com a maravilhosa sensação de ser miserável.
E tirar de mim a única coisa que sei fazer direito nessa vida que é sofrer.
Anos de aprimoramento e ele quer mudar todo o esquema.
O moço quer me fazer feliz.
Veja se pode (...)

Não dá, assim não dá.
Deveria ter cadeia pra esse tipo de elemento daninho.
Pior é que vicia.
Não é que acordei me achando hoje?
Agora neguinho me trata mal e eu não deixo.
Agora neguinho quer me judiar e eu mando pastar.
Dei de achar que mereço ser amada.
Veja se pode.
Trinta anos servindo de capacho, feliz da vida,
e aí chega um desavisado e muda tudo.
Até assoviando eu tô agora."

segunda-feira, 26 de julho de 2010


"Nada mais temas,
diz o coração no corpo,
nada mais temas."
                                                                                              
                                                                                              (Virgínia Wolf)

"Esqueçamos a distância.
Definitivamente, a partir de hoje,
você vai morar na minha taquicardia".


















"A esperança me chama,
e eu salto a bordo como se fosse a primeira viagem.
Se não conheço os mapas, escolho o imprevisto:
qualquer sinal é um bom presságio.
Seja como for, eu vou, pois quase sempre acredito:
ando de olhos fechados feito criança brincando de cega.
Mais de uma vez saí ferida ou quase afogada, mas não desisto.
A dor eventual é o preço da vida..."




"Eu vi, sim, eu vi!
A natureza verde em teu olhar.
E se não era a natureza
Ao menos tinha a mesma beleza pra encantar!

Em todo tempo, teu sorriso sereno
Fazendo minha alma se alegrar.
Tens a força divina ao teu lado
Fostes por Deus colocado para que o mundo
Tu pudesses iluminar!

E não há dias cinzas
Que tu não tenha as cores pra pintar!
E não sentimento triste
Que não consegues em alegria transformar!

Verdes estes teus olhos lindos,
Que os teus sonhos menino
Possam mais que o mundo alcançar!

Verdes estes teus olhos lindos,
Leve sempre essa pureza
Por onde andar."


"Ele parece alto num primeiro momento,
mas se você olhar direito,
tem o charme cafajeste de quem vê o mundo mais de baixo.
Não tem jeito aquela boca cortada,
seus olhos são de uma profundidade quase cansada.
Vai saber o que ele tem, nem ele sabe.
Mas tem.
Nem posso dizer que tentei evitar,
pois já descobri que se você evitar a vida,
ela acontece do mesmo jeito."


sexta-feira, 23 de julho de 2010


"(...) é preciso partir

é preciso chegar

é preciso partir é preciso chegar...
 
Ah, como esta vida é urgente!"


"Quando você vier haverá o encontro
da sua busca com a minha espera.
E o seu abraço será a moldura do meu corpo.
E a minha boca o pretexto
para o seu mais demorado beijo.
E a gente vai brincar de se desmaterializar
dentro da música, de desatar auroras.

E eu vou inventar uma madrugada eterna
pra quando você tiver que ir embora no dia seguinte.
E você vai inventar um domingo que vai durar pra
sempre porque tenho preguiça das segundas-feiras.

E a gente vai rir dessa maldade da demora do tempo
pra fazer essa brincadeira de desencontro:
Quase nos deixou descrentes...
A gente vai rir dessa maldade porque o nosso amor
será a coisa mais bonitinha do mundo..."
 
 

quinta-feira, 22 de julho de 2010


“Não podemos compreender nada se o mais raso que estivermos dentro daquilo, não seja no fundo. Qualquer coisa que avistamos incluir em nossa vida é para ser profundo, a ponto de que ali possamos mergulhar. Não acredito em nada diferente disso, e é por isso que não desvio, mas seguro o olhar.

Ele não entende e a resposta vem errada.
A resposta não vem.
Mesmo com todos os sinais e simpatias, mesmo com tantas coincidências premeditadas.

Será que não pensa sobre as possibilidades e em alguma realidade me imaginar na sua vida?
Será que deixaria eu colocar na sua estante uma fotografia do que seria se eu e ele fomos nós?
Será que atenderia o telefone de madrugada?
Será que pensaria em amar alguém tão apaixonada?
Será que se doaria para alguém que não tem quase nada?
Será que apostaria um futuro por alguém que acabou de esbarrar?
Será que o sorriso que tem já é de alguém ou de outro lugar?

Quando entenderá que quero estar dentro,
difusa com sua vida e seu sonhar?
Quando entenderá que agora ele não é só alguém que encontrei nestas idas e vindas e não é só uma história para um dia lembrar?
Quando notará que meu desejo não é só para agora, que só quero ir lá fora se vier me acompanhar?
Quando entenderá que não é um estranho, um conhecido, um amigo que só encontro se a coincidência deixar?
Quando estará comigo além de um breve olhar?
Quando seu corpo se perderá com o meu?
Quando eu vou poder entrar na sua rotina?
Quando vou deixar das indiretas para te acordar?
Quando vou poder mergulhar, ir no fundo, no teu mais que mais profundo e nunca mais voltar?”


"Fiquei olhando pra dentro, relembrando as coisas que desejei no passado
e vi que minha emoção vinha de tantos sonhos realizados.
Porque eu tenho os melhores amigos do mundo,
a família que eu merecia ter,
o namorado mais perfeito e toda a disposição e capacidade
pra tornar pleno o que ainda é lacuna em minha vida.
E, finalmente, eu tenho um compromisso tão real com a felicidade,
e que tudo o mais que me conduza a esta realização é uma conseqüência dessa minha escolha.
Eu sei que a vida não é fácil:
se a gente quer um amor e o encontra,
a gente depois tem que negociar com a convivência.
Se a gente tem muitos amigos, as idiossincrasias.
Se o emprego dá grana, às vezes o chefe nos desanima….
enfim, nem todo poeta vive de poesia., embora muita gente se alimente dela.
Eu hoje acordei tão emocionada porque sei que cada vírgula da nossa rotina tem sentido.
E que ter uma rotina é tão saudável.
E que ter amigos nos impulsiona, e que viver um grande amor nos embeleza.
E que fazer 'a nossa parte' melhora o mundo.
E que ter bons pensamentos enriquece o Universo.
Eu hoje acordei tão emocionada porque tive a plena consciência de que
eu posso escolher outra coisa sempre, e que no aprendizado não existe escolha errada.
Eu hoje acordei com a alma em festa,
porque sou feliz como alguém que fez as escolhas certas."


(...) Porque preciso de muita paixão,
enquanto rezo pela calmaria.

É que eu preciso de muitas questões,
enquanto fujo para obter respostas...


Eu não espero nada de você...

Eu espero por você.

Se a paciência foi inventada pra isso,

é pra isso que ela vai servir então.

E quando você vier, num dia de chuva azul

Ou sol vermelho,

Ou dentro de uma noite absoluta

Eu estarei com as duas mãos no colo,

Uma expressão serena.

E cheia de segredos ardentes pra te contar.

Mas não quero assustar você,

Quero que fique totalmente à vontade pra começar

Tirando as presilhas do meu cabelo

Esparramando-os sobre todos os poemas

que você não escreveu pra mim...

"Ainda".

quarta-feira, 21 de julho de 2010

e por falar em



"Saudade é um pouco como fome.
Só passa quando se come a presença.
Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco:
Quer-se absorver a outra pessoa toda.
 Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira
é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."



"Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança
para acontecer de novo e não consegue"

(Mário Prata)


"Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já..."

                         

terça-feira, 20 de julho de 2010


Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi

Mas quem cantava chorou
Ao ver o seu amigo partir
Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou

Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção

O que importa é ouvir
A voz que vem do coração
Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar.


(Canção da América – Fernando Brant e Milton Nascimento)

"Dei pra me emocionar cada vez que falo dos amigos.
Deve ser a idade, dizem que a gente fica mais sentimental.
Mas é fato: quando penso no que tenho de mais valioso, os amigos aparecem em pé de igualdade com o resto da família.
E quando ouço pessoas dizendo que amigo, mas amigo mesmo, a gente só tem dois ou três, empino o peito e fico até meio besta de tanto orgulho: eu tenho muito mais do que dois ou três. São uma cambada. Não é privilégio meu, qualquer pessoa poderia ter tantos assim,
mas quem se dedica?

Fulano é meu amigo, Sicrana é minha amiga. É nada. São conhecidos. Gente que cumprimentamos na rua, falamos rapidamente numa festa, de repente sabemos até de uma fofoca pesada sobre eles, mas amigos? Nem perto. Alguns até chegaram a ser, mas não são mais por absoluta falta de cuidado de ambas as partes.

Amizade não é só empatia, é cultivo. Exige tempo, disposição. E o mais importante: o carinho não precisa - nem deve - vir acompanhado de um motivo.

As pessoas se falam basicamente nos aniversários, no Natal ou para pedir um favor - tem que haver alguma razão prática ou festiva para fazer contato. Pois para saber a diferença entre um amigo ocasional e um amigo de verdade, basta tirar a razão de cena. Você não precisa de uma razão, basta sentir a falta da pessoa. E, estando juntos, tratarem-se bem.

Difícil exemplificar o que é tratar bem. Se são amigos mesmo, não precisam nem falar, podem caminhar lado a lado em silêncio. Não é preciso troca de elogios constantes, podem até pegar no pé um do outro, delicadamente. Não é preciso manifestações constantes de carinho, podem dizer verdades duras, às vezes elas são necessárias.
Mas há sempre algo sublime no ar entre dois amigos de verdade.
Talvez respeito seja a palavra.
Afeto, certamente.
Cumplicidade? Mais do que cumplicidade. Sintonia?

Acho que é amor.
Oh, céus! Santa pieguice, Batman! Amor? Esta lengalenga de novo?

Sério, só mesmo amando um amigo para permitir que ele se atire no seu sofá e chore todas as dores dele sem que você se incomode nem um pingo com isso.
Só mesmo amando para você confiar a ele o seu próprio inferno. E para não invejarem as vitórias um do outro.
Por amor, você empresta suas coisas, dá o seu tempo, é honesto nas suas respostas, cuida para não ofender, abraça causas que não são suas, entra numas roubadas, compreende alguns sumiços - mas liga quando o sumiço é exagerado.
Tudo isso é amizade com trato. Se amigos assim entraram na sua vida, não deixe que sumam.

Porém, a maioria das pessoas não só deixa como contribui para que os amigos evaporem.
Ignora os mecanismos de manutenção.
Acha que amizade é algo que vem pronto e que é da sua natureza ser constante, sem precisar que a gente dê uma mãozinha.
E aí um dia abrimos a mãozinha e não conseguimos contar nos dedos nem dois amigos pra valer.
E ainda argumentamos que a solidão é um sintoma destes dias de hoje, tão emergenciais, tão individualistas.
Nada disso.
A solidão é apenas um sintoma do nosso descaso.

A maioria das pessoas não só deixa como contribui para que os amigos evaporem.
Ignora os mecanismos de manutenção."