"Ando no rastro dos poetas, porém descalça... Quero sentir as sensações que eles deixam por ai"



quinta-feira, 31 de maio de 2012


Eu sou feita de
sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos

Sou feita de
choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão

Sinto falta de
lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante

tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas

Muitas vezes eu
desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir, para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
de pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
mas continuo vivendo e aprendendo.

Os homens mentiriam menos se as mulheres fizessem menos perguntas.

(Nelson Rodrigues)

Caça-palavras psicológico


('diz a lenda' que as três primeiras palavras que encontrar vão te definir)


“A beleza de uma mulher não está nas roupas que ela veste, nem no corpo que ela carrega, ou na forma como penteia o cabelo.
A beleza de uma mulher deve ser vista nos seus olhos, porque esta é a porta para seu coração, o lugar onde o amor reside.”
Pede-me, e te darei as nações como herança e os confins da terra como tua propriedade.

Salmos 2:8

quarta-feira, 30 de maio de 2012


"Se você parar pra pensar, deixar o ceticismo de lado, é a coisa mais bonita quando duas pessoas resolvem viver uma para a outra.
Justamente porque é o mais difícil de ser feito.
Somos cínicos a respeito da condição deles, mas acho que quem está na zona de conforto somos nós."


Não vemos as coisas como são: vemos as coisas como somos.
"Trago esse sorriso por desobediência.
Desobedeço a tristeza."
"Só dou ouvidos a quem me ama.
Outras opiniões, se não fundamentadas no amor,
podem representar perigo."

É como árvore plantada à beira de águas correntes:
Dá fruto no tempo certo e suas folhas não murcham.
Tudo o que ele faz prospera!

Salmos 1:3

terça-feira, 29 de maio de 2012


Cultivei a semente da árvore também para os passarinhos,
sem saber se vinham.
Mesmo que não viessem, porque eu os aguardava,
eles já cantavam no meu coração.

“Comecei a ficar mais atenta às verdadeiras razões dos meus choros, que aliás, costumam ser raros.
Já aconteceu de eu quase chorar por ter tropeçado na rua, por uma coisa à-toa.
É que, dependendo da dor que você traz dentro, dá mesmo vontade de aproveitar a ocasião para sentar no fio da calçada e chorar como se tivéssemos sofrido uma fratura exposta.

Qualquer coisa pode servir de motivo.
Chorar porque fomos multados, porque a empregada não veio, porque o zíper arrebentou bem na hora de sairmos pra festa.
Que festa, cara-pálida?
Por dentro, estamos em pleno velório de nós mesmos, chorando nossa miséria existencial, isso sim.
Não pretendo soar melodramática, mas é que tem dias em que a gente inventa de se investigar, de lembrar dos sonhos da adolescência, de questionar nossas escolhas, e descobre que muita coisa deu certo, e outras não.
Resolve pesar na balança o que foi privilegiado e o que foi descartado, e sente saudades do que descartou.
Normal, normalíssimo.
São aqueles momentos em que estamos nublados, um pouco mais sensíveis do que gostaríamos, constatando a passagem do tempo.
Então a gente se pergunta: o que é que estou fazendo da minha vida?
Vá que tudo isso passe pela sua cabeça enquanto você está trabalhando no computador.
De repente, a conexão cai, e em vez de desabafar com um simples palavrão, você faz o quê?
Cai no berreiro. Evidente.

Eu sorrio muito mais do que choro, razões não me faltam para ser alegre, mas chorar faz bem, dizem.
Eu não gosto.
Meu rosto fica inchado e o alívio prometido não vem.
Em público, então, sinto a maior vergonha, é como se estivesse sendo pega em flagrante delito.
O delito de estar emocionada.
Mas emocionar-se não é uma felicidade?
Neste admirável mundo de contradições em que a gente vive, podemos até não gostar de chorar, mas trata-se apenas da nossa humanidade se manifestando: a conexão do computador, às vezes, cai; por outro lado, a conexão conosco mesmo, às vezes, se dá.

Sendo assim, sou obrigada a reconhecer: chorar faz bem, não importa o álibi.
É sempre a dor do crescimento.”

Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios,
não imita a conduta dos pecadores,
nem se assenta na roda dos zombadores!

Salmos 1:1

segunda-feira, 28 de maio de 2012


Quando livros já não tiver, lerei as estrelas.
Quando elas se cansarem da minha solidão, lerei a palma da mão.

(Casimiro de Brito)

“Para não sofrer eu vou me drogar de outros, eu vou me entupir de elogios, eu vou cheirar outras intenções.
Vou encher minha cara de máscaras para não ser meu lado romântico que tanto precisa de um espaço para existir ridiculamente.
Não vou permitir ser ridícula, nem uma lágrima sequer, nem um segundo de olhar perdido no horizonte, nem uma nota triste no meu ouvido.
Eu sei o quanto vai ser cansativo correr da dor, o quanto vai ser falso ignorar ela sentada no meu peito.
Mas vou correr até minha última esquina.
Vou burlar cada desesperada súplica do meu coração para que eu pare e sofra um pouquinho, um pouquinho que seja para passar.
Suor frio da corrida, sempre com sorriso duro no rosto e o medo de não ser nada daquilo que você me fez sentir que eu era.
Muita maquiagem para esconder os buracos de solidão.
Muita roupa bonita para esconder a falta de leveza
e de certeza do meu caminho.”

Do que eu já quis... do que espero


Eu já quis que o destino me surpreendesse.
Hoje eu só espero que ele não me decepcione.”   
“Vamos deixar para sofrer pelo que é realmente trágico,
e não por aquilo que é apenas um incômodo,
senão fica impraticável atravessar os dias”

sexta-feira, 25 de maio de 2012

entre de peito nessa



Fiz minha primeira mamografia aos 39 anos. Cheguei na clínica sem saber direito do que se tratava.
Achei que o exame era parente das tomografias computadorizadas e que eu ficaria à disposição dos médicos por muitas horas.
Coragem.

Foi quase uma decepção. O exame leva poucos minutos.
A funcionária da clínica tira duas radiografias do seio esquerdo e depois duas do seio direito. Mais uns minutos aguardando para avaliarem se o procedimento foi bem realizado ou se será preciso repetir, e, não precisando, pode colocar sua roupa e adeusinho, passe bem.

Só isso?
É rápido e indolor, mas não é só isso.
É tudo isso.
Tudo o que uma mamografia significa: a diferença entre a vida e a morte, por mais dramática que essa frase possa soar.
Em pouco tempo, o resultado estará em suas mãos e, com sorte, você não terá nada, saúde perfeita.
Eu fiz umas quantas mamografias depois da primeira, e o resultado foi sempre positivo.

Com menos sorte, mas com sorte ainda, você talvez descubra um pequeníssimo nódulo, e o fato de tê-lo descoberto tão cedo dará a você a chance de extraí-lo sem maiores traumas e tocar sua vida normalmente.

Mulheres que têm condições de marcar hora numa clínica particular não o fazem por preguiça, pois informação temos tido bastante, inclusive existe o Outubro Rosa, uma iniciativa da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio a Saúde da Mama (Femama), que visa conscientizar as mulheres da importância de se prevenir contra um dos cânceres que mais mata no Brasil.

Mas, infelizmente, a maioria das mulheres não pode ir a uma clínica, tendo que recorrer ao SUS.
Por isso, reivindicamos aos órgãos públicos maior sensibilização quanto à necessidade de se adquirir novos equipamentos e consertar aqueles que estão estragados, a fim de que a mamografia seja um exame tão corriqueiro quanto tirar sangue num laboratório.
Mamografia não é luxo. É um direito.

São esses os passos para diminuirmos os índices alarmantes de mulheres que morrem de um câncer que poderia tranquilamente ser curado.
Primeiro: que todos os hospitais e postos de saúde tenham o equipamento funcionando para que possam atender dezenas de pacientes todos os dias, já que é um exame que não toma muito tempo.
Segundo: que as próprias mulheres se interessem mais pelo assunto e não entreguem seu destino nas mãos de Deus.
Há diversas razões que levam ao óbito, e a pior delas é a morte por ignorância.

Outubro Rosa é só o nome de uma campanha, mas pode se estender para novembro, dezembro, janeiro.
E você nem precisa gostar de cor-de-rosa.
Mais importante do que ser identificada como uma mulher feminina é ser identificada como uma mulher inteligente.

Faça já.

A mamografia é considerada o melhor exame para rastrear o câncer de mama, a segunda causa de morte entre as brasileiras. Ela consegue detectar uma lesão tão pequena quanto uma ervilha.
Trata-se de um exame feito com um aparelho de raio X chamado mamógrafo, que radiografa a mama para detectar o câncer no estágio inicial, quando as lesões ainda são milimétricas.
O exame também dá um ‘flagra’ em cistos, nódulos e calcificações na mama.
Para mulheres que não têm histórico de câncer de mama na família, recomenda-se fazer um exame anual a partir dos 40 anos.
O grau de desconforto depende da sensibilidade de cada mulher.
A mama, uma de cada vez, é colocada sobre uma espécie de bandeja e é comprimida, o que deixa o exame mais dolorido para as mulheres com pouco peito.
Evite fazer o exame no período pré-menstrual, quando as mamas estão mais sensíveis! 

#ficaadica
#mamografia: eu faço!

Saudade é quando a lembrança
fica com a cópia da chave do melhor momento.

“Lembrei que tinha lido em algum lugar
que a dor é a única emoção que não usa máscara.”

Se alguém lhe tocar com a espada, esta não poderá penetrar,
nem lança, dardo ou flecha.
Jó 41:26

quinta-feira, 24 de maio de 2012


Há uma criança morando em mim
Que nunca cresce
Ela acredita num mundo cor de rosa
Onde o amor ainda prevalece
Sente flores no outono
Colhe sol no inverno
Acredita no perdão
No amor
E na paz
Acredita em amigos verdadeiros
Que se doam por inteiro
Acredita em fadas com varinha de condão
E no poder de tocar o coração
Brinca de faz de conta
E faz de conta que o mundo é puro
E faz de conta que o mundo é bom

Há uma criança morando em mim
Sonhando com azuis
E amarelos
E verde esperança
Ah!...
Ela não se cansa!

[ Arnalda Rabelo ]

Eu me dou melhor comigo mesma quando estou infeliz: há um encontro.

Quando me sinto feliz, parece-me que sou outra.
Embora outra da mesma.
Outra estranhamente alegre, esfuziante.

Levemente infeliz é mais tranqüilo.
Tenho tanta vontade de ser corriqueira e um pouco vulgar e dizer:
'a esperança é a última que morre.'
Porque entre o sim e o não é só um sopro, entre o bom e o mau apenas um pensamento, entre a vida e a morte só um leve sacudir de panos — e a poeira do tempo, com todo o tempo que eu perdi, tudo recobre, tudo apaga, tudo torna simples e tão indiferente.

Eu sei que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra.

Jó 19:25

quarta-feira, 23 de maio de 2012


Existe um braço da Filosofia que atribui à tristeza o importante papel de “motor da vida”. Explico: fôssemos plenamente felizes, não haveria motivo para mudar as coisas. Não haveria pelo quê lutar ou atrás do quê correr. Ficaríamos estagnados na nossa felicidade cega e não seríamos capazes de seguir em frente.

O fato é que temos pavor da tristeza.
Não queremos nada além da completa felicidade a que assistimos no comercial da operadora de celular.
Vivemos para fugir da tristeza e isso está nos transformando em legumes anestesiados.
Ficamos tão habilidosos em nos esquivar dos dissabores da vida, que passamos a maior parte do tempo dentro da nossa chatinha e previsível zona de conforto.

Não nos apegamos demais aos amigos, pois eles podem ir embora; não nos apegamos demais a quem amamos por medo de não sermos correspondidos; não nos apegamos ao emprego novo, pois pode surgir oportunidade melhor.
Sem nos agarrar a nada, ficamos à deriva…

Em vez, agarramo-nos com todas as forças à bolsa nova, ao telefone da moda, aos sapatos do momento.
Claro que é um apego temporário, porque na semana que vem surgem versões “novíssimas” que tomarão o lugar das primeiras.

É curioso como gastamos montanhas de dinheiro em um par de jeans estonado, furado e rasgado, um jeans “com história”, e não investimos tanto quanto deveríamos na nossa própria.
Qual a graça da calça nova se não usá-la?
Qual a graça, então, do coração intacto, sem uso, sem quilometragem?

É o medo de comprometer suas bombas, ter de reparar suas fibras, trocar seus vasos?
É o medo da tristeza?
Não há com o que se preocupar.
O coração, assim como a calça, lavou, tá novo.

Das rezas


Deus me proteja da sua inveja
Deus me defenda da sua macumba
Deus me salve da sua praga
Deus me ajude da sua raiva
Deus me imunize do seu veneno
Deus me poupe do seu fim
Deus me acompanhe
Deus me ampare
Deus me levante
Deus me dê força
Deus me perdoe por querer
Que Deus me livre e guarde de você

(Rita Lee)

Que frio é esse???


É aquele que pega seu dedão do pé esquerdo no meio da noite
O mesmo que assopra em suas orelhas
enquanto espera o ônibus altas horas
A própria água que cai nas suas mãos, da pia branca
Aquela gota fria que aparece no meio de um banho quente

Que frio é esse?
É o tal inverno fora de hora
aquela noite de Santo Antonio, longa
Aquele cumprimento de mão fria, é...

O café da noite passada, o próprio vento que vem de longe
O pôr do sol cor-de-rosa,
A noite que chega às 5:30 da tarde
O dia tímido que custa a aparecer...

Dias de nuances azuis, opacas
Sensação sazonal de uma meio-que-depressiva situação
Que frio é esse?

Nao sei, apenas sinto... muito!


=| Maikel Fontes |=

Você esquecerá as suas desgraças, lembrando-as apenas como águas passadas.
A vida será mais refulgente que o meio-dia, e as trevas serão como a manhã que brilha.
Você estará confiante, graças a esperança que haverá; olhará ao redor, e repousará em segurança.

Jó 11:16-18

terça-feira, 22 de maio de 2012

Depois de estar com você...


... de sentir teu cheiro, tua pele, encostar a mão no seu rosto, ouvir coisas banais, enroscar meus dedos em seus cabelos, enfim, de sentir você, eu tenho, tive e sempre terei absoluta certeza de que eu não quero que você saia da minha rotina.
Permaneça sempre, por favor.

Narciso


Sou apaixonada por mim.

E daí?
Sei quanto me custa valer a pena!

(Márcia Leite)

Pois só quem tem os sonhos mais básicos
pode amar e dizer a verdade
***
E as estrelas ainda vão nos mostrar
que o amor não é inviável
num mundo inacreditável

Contudo, se você lhe consagrar o coração, e estender as mãos para ele; se afastar das suas mãos o pecado, e não permitir que a maldade habite em sua tenda, então você levantará o rosto sem envergonhar-se; serás firme e destemido.

Jó 11:13-15

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Para aquecer os dias frios...

 


Lareira
vinho
fondue
edredom
capuccino
chocolate quente
filme de amor
pipoca
aconchego
conversa ao pé do ouvido
conchinha
beijos
carinhos
pés entrelaçados
braços e abraços...

Preciso urgente!!!

"Quando você prometeu que aquela estrela seria para sempre minha, esqueceu de me dizer o quanto seria difícil isso.
Um amor em forma de estrela.
Uma estrela em forma de amor.
E dois seres distantes, anos luz distantes, tão próximos, que quase podiam se tocar.
Você esqueceu de me dizer o quanto isso seria difícil.
Não fosse essa estrela, que todo dia brilha na minha janela, eu já teria enlouquecido."

"Garotas são loucas, se fossem vendidas em frascos, viria rotulado:
contém 1 drama."

A pergunta é:


E quando o outro é muito mais do que um?"

[Markus Suzak]

Como é feliz o homem a quem Deus corrige; portanto, não despreze a disciplina do Todo-poderoso.

Jó 5:17

quarta-feira, 16 de maio de 2012


- Abra a mão e fecha os olhos.
- Pra quê?
- Surpresa... Pronto! Agora pode olhar.
- Que é isso?
- É meu amor... Agora é seu!

Tem instantes em que nada me é mais adequado,
que os rumores de um silêncio acordando certos sentidos,
como um clarão no obscuro de dentro.

É uma sutileza que me amansa,
essa pausa de nada ouvir, onde tudo me ordena.
Em cada esquina cai um pouco a tua vida.
Em pouco tempo não serás mais o que és.
(Cartola)
. . .
O tempo vai dizer se o que espero me interessa.
Se eu levo a vida, ou se é ela que me leva.
(Cazuza) 
 . . .
Vou por o nome do meu filho de Agenor pra ver se ele nasce como Cazuza ou Cartola. Caso contrário, será só um pobre coitado com o nome feio.
(Duda Penafiel)

Deus realiza maravilhas insondáveis, milagres que não se pode contar.
Derrama chuva sobre a terra, e envia água sobre os campos.
Os humildes, ele os exalta, e traz os que pranteiam a um lugar de segurança.
Ele frustra os planos dos astutos, para que fracassem as mãos deles.
Apanha os sábios na astúcia deles, e as maquinações dos astutos são malogradas por sua precipitação.

Jó 5:9-13

terça-feira, 15 de maio de 2012


O meu amor por você é tão cheio que transborda.

"Aproximadamente 15h de hoje os refletores do céu foram ligados...
O show de Chico Anysio estava para começar.
A plateia? Os anjos aplaudindo em pé...".

(palavras de Malga Di Paula após o comunicado da morte de Chico Anysio)